TIPO 8429 (Substitui o Tipo 8730)

Análise de Resposta ao Choque BK Connect

Aplicação que calcula o espectro de resposta ao choque (SRS) de transientes no domínio do tempo para determinar o potencial de danos de eventos transientes, tais como choques pirotécnicos

Request a quote

Esta aplicação BK Connect descreve o espectro de resposta ao choque (SRS) de eventos transitórios no domínio do tempo, como choques pirotécnicos ou impactos estruturais. Permite determinar o potencial de danos dos eventos transientes e prever se a estrutura sobreviverá a tais choques. O cálculo de SRS converte as informações de movimento em respostas atenuadas de oscilador com único grau de liberdade (SDOF). As amplitudes de resposta dos osciladores são colocadas em gráfico como uma função das frequências SDOF para produzir o SRS. 

O SRS é calculado conforme a norma ISO 18431-4:2007 para a análise de resposta ao choque. 

CENÁRIOS DE USO

  • Determinação do potencial de danos estruturais da exposição a eventos de choque, como choques pirotécnicos durante o estágio de separação de foguetes
  • Testes de durabilidade de dispositivos sensíveis a choques, tais como componentes aviônicos e equipamentos de orientação 
  • Teste preciso de componentes quando um sistema de teste de vibração não é capaz de gerar o sinal no tempo do evento de choque original, devido a limites dinâmicos. Em vez disso, a síntese da resposta ao choque é usada, onde um novo pulso de choque gerenciável é gerado com o mesmo SRS que o evento de choque original
  • Estudos de design que comparam, por exemplo, estruturas de suporte antes e depois de uma redução de peso.
  • Engenharia de terremotos, para assegurar que edifícios, pontes e outras infra-estruturas possam sobreviver a terremotos

CARACTERÍSTICAS

O software inclui o pré-processamento do evento de choque. Os dados de entrada podem ser vistos antes que os eventos de choque individuais sejam selecionados para análise. Antes dos cálculos de espectro de resposta ao choque, esses eventos de choque individuais podem ser corrigidos quanto à compensação e desvio de DC. A velocidade final da entrada pode ser forçada a zero, conforme exigido em algumas aplicações. Existem potencialmente 45 opções diferentes para o usuário: cinco modelos de espectro de resposta ao choque e nove saídas de cálculo de amplitude (instâncias de choque).

CAPACIDADES

  • Em conformidade com a ISO 18431 - 4:2007 Vibração mecânica e choque - Processamento do sinal - Parte 4: Análise de espectro de resposta ao choque
  • Modelos de espectro de resposta ao choque: Aceleração absoluta, aceleração estática equivalente, pseudovelocidade, velocidade relativa e deslocamento relativo
  • Importa transientes de aceleração, velocidade e deslocamento. Os dados de velocidade e deslocamento são convertidos automaticamente para dados de aceleração antes do cálculo do SRS
  • Transformada z de invariante em rampa para reduzir erros em altas frequências no caso de aplicações de choque pirotécnico
  • Sobreamostragem dinâmica, que reduz o erro de viés e melhora a precisão da detecção de pico
  • Determinação da mudança de velocidade durante o impacto, utilizando o modelo de espectro de resposta ao choque de pseudovelocidade
  • Revelação do potencial de danos de impactos em um espectro de pseudovelocidade

As amplitudes do SRS são derivadas dessas respostas SDOF individuais, ao pegar a resposta máxima do evento de choque primário (durante o movimento forçado) ou durante a resposta residual ao evento (resposta livre). Mais comumente, é utilizada a resposta máxima global, que inclui respostas primárias e residuais (maximax). 

REQUISITOS