Testes de choque e queda

Para testar como os produtos, componentes e subsistemas resistem a uma queda, um choque induzido ou mesmo um choque pirogênico, é comum realizar testes de choque temporário, testes de queda e/ou testes de impacto.

Para testar como os produtos, componentes e subsistemas resistem a uma queda, um choque induzido ou mesmo um choque pirogênico, é comum realizar testes de choque temporário, testes de queda e/ou testes de impacto Ao conduzir testes de choque, cargas úteis tais como televisores, peças automobilísticas ou eletrodomésticos brancos de grande porte são movidas rapidamente por um curto período a 100 g ou 11 m/s, a fim de simular um carro se chocando contra um buraco ou uma televisão sendo derrubada durante o transporte.

Os fabricantes originais de automóveis, bem como os fabricantes de equipamentos militares e comerciais possuem normas para os testes de choque. Algumas delas são a SAE J1455 para testes de choque e queda de veículos e componentes, a IEC 60068-2-27, a IEC 60068-2-29 e a IEC 60068-2-31 para choques, colisões e quedas clássicas de produtos comerciais, e a MIL-STD-810 para testes clássicos de choque e para análises do espectro de resposta ao choque (SRS) de sistemas militares. A capacidade de armazenar e reutilizar perfis de teste padronizados através do software de controle propicia a simples execução do teste.

Sugestão de sistema

Shock and drop testing system overview

Para os testes de choque, sugerimos um sistema baseado no shaker refrigerado a ar de força média V8, com o melhor deslocamento do mercado de 63,5 mm (2.5 in) e um pico de velocidade de 1,8 m/s (70.9 in/s). O intuitivo controlador LASERUSB, cujo software de teste de choque oferece o rápido e preciso registro e análise dos testes de choque, é quem controla isso. Para uma análise de choque mais avançada, o BK Connect Shock Response Analysis calcula o SRS a partir de fenômenos transitórios no domínio do tempo, a fim de determinar o potencial de dano dos eventos transientes.